fbpx

Reajuste de preço dos medicamentos: o que é e quais os fatores considerados?

Todos os anos, o setor farmacêutico passa por um reajuste de preço dos medicamentos. Pontualmente entre abril e maio, toda a indústria divulga os novos preços que serão praticados pelos próximos meses — e esse é um processo fundamental para este modelo de negócio, já que os novos preços podem influenciar a compra dos medicamentos junto aos fornecedores, bem como a venda dos itens para o consumidor final.

Nesse contexto, é fundamental estar atento na hora de adquirir e precificar os itens, sobretudo para evitar irregularidades e prejuízos. Logo, é preciso também estar atento aos procedimentos de atualização de preço ao consumidor, já que eles são regulamentados de acordo com o Preço Máximo ao Consumidor (PMC).

Ficou interessado pelo assunto? Então, está no lugar certo! Neste post vamos ajudá-lo a entender melhor sobre como funciona a atualização de preços e apresentaremos algumas dicas para aplicá-lo de maneira adequada no seu estabelecimento. Confira!

Por que há uma mudança anual de preços?

Em razão da inflação e as mudanças nos valores praticados sobre a matéria-prima utilizada para a fabricação dos medicamentos, existe uma variação anual no preço dos remédios tanto para farmácias e drogarias quanto para os consumidores finais. Além disso, vale destacar que a instabilidade econômica também pode influenciar negativamente na composição dos preços.

No Brasil, esse reajuste se dá conforme as determinações da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). O órgão, que pertence à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), tem como principal função, portanto, regulamentar a formação dos preços dos medicamentos no país.

Por se tratar de produtos fundamentais ao tratamento de diversas doenças, essa medida é necessária para evitar o superfaturamento dos remédios, tendo em vista que esse tipo de prática afetaria de maneira considerável a vida dos consumidores finais. Isso porque, caso os fabricantes pudessem aplicar o valor desejado, sem qualquer controle, eventualmente os preços poderiam sofrer elevações significativas.

A mudança anual de preços é uma alternativa interessante para se evitar que problemas dessa natureza ocorram com frequência e até mesmo para minimizar a prática de preços abusivos sobre quaisquer medicamentos.

O que é PMC?

Como já ressaltamos anteriormente, o Preço Máximo ao Consumidor é um mecanismo adotado para evitar a aplicação de altos reajustes sobre os preços dos medicamentos. Na prática, o PMC trata-se da relação de custo e a margem de lucro dos itens farmacológicos. Portanto, ele corresponde ao limite de gastos que pode ser repassado para os clientes de farmácias e drogarias.

Além disso, o PMC pode também ser utilizado como um parâmetro de fiscalização por parte dos órgãos competentes. Haja vista que, ao anunciar um produto com preço acima do limite, em caso de flagrante, o estabelecimento pode sofrer punições das instituições fiscalizadoras em razão da prática de preços abusivos.

Dessa forma, ao atualizarem os preços, é fundamental que os gestores observem a precificação na loja para propor uma mudança que respeite os limites legais. Sendo assim, ao adotar as medidas corretas na atualização de preços, é possível evitar importantes perdas de clientes — por conta dos altos preços praticados — ou até mesmo sanções mais rígidas, como a aplicação de multas.

Quais os fatores para cálculo do reajuste de preço dos medicamentos?

A definição do aumento dos preços dos medicamentos segue critérios específicos, estabelecidos de acordo com as variáveis IPCA e os fatores X, Y e Z. Esses indicadores, por sua vez, são utilizados para determinar o índice de aumento adequado entre um ano e outro.

Por um lado, o fator X está relacionado ao levantamento de dados atrelados ao aumento da produtividade na Indústria Farmacêutica. Isso ocorre, por exemplo, quando determinado fabricante produz mil unidades de diferentes substâncias farmacológicas e, em função dos avanços tecnológicos, sua capacidade produtiva sobe para 5 e 10 mil unidades, utilizando os mesmos insumos primários.

Enquanto isso, o Fator Y relaciona-se à busca de dados referentes às eventuais transformações causadas pela indústria do setor de energia e a variação das taxas de câmbio percebidas no país durante os 12 últimos meses. Logo, trata-se de variáveis que não estão inseridas no contexto farmacêutico.

Por fim, o Fator Z pode ser considerado um desdobramento do Fator X, sendo normalmente subdividido entre três etapas de pesquisa. De modo geral, ele foi estabelecido com o propósito de avaliar a concorrência, muito embora não seja visto como um analisador de mercado.

Como realizar a atualização nos produtos?

A CMED produz uma lista de referência de preços dos medicamentos todos os meses. Entretanto, essa tabela apresenta uma mudança substancial em abril de cada ano. Sendo assim, o uso da tecnologia em favor do gerenciamento de um negócio no setor farmacêutico é fundamental, afinal, com poucos cliques é possível atualizar todo o estoque da sua drogaria, respeitando os limites legais estabelecidos pelo órgão da ANVISA.

É válido ainda lembrar que a atualização não se refere apenas às mudanças em preços que caracterizam uma alta no período, mas, também, aos itens que tiveram redução no seu valor. Nesse sentido, é fundamental efetuar a atualização de todos os produtos, sob risco de gerar prejuízos expressivos para o seu negócio no longo prazo.

Outro detalhe que precisa ser avaliado com bastante atenção é justamente em relação aos preços aplicados na lista da CMED. Afinal, os valores divulgados referem-se ao teto máximo que pode ser cobrado por cada produto.

Sendo assim, não é necessariamente o mesmo preço praticado no mercado, já que não considera as margens de lucro. Ademais, também se deve atentar aos fatores competitivos, estabelecendo preços adequados para superar a concorrência — que já é bastante acirrada neste mercado.

O que achou das dicas e informações que trouxemos neste texto? Agora que já sabe como funciona o reajuste de preço dos medicamentos e quais fatores considerados na composição de custo, o que acha de saber mais sobre um sistema de gestão definitivo para sua drogaria? Para tanto, basta entrar em contato conosco para saber mais sobre as soluções oferecidas pelo Vetor Farma!

Continue de olho também em nosso perfil no Instagram e no LinkedIn para mais notícias e informações sobre o mercado farmacêutico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *