fbpx

Por que otimizar a rastreabilidade de medicamentos?

Toda medicação que passa pelos serviços de saúde, bem como empresas do varejo farmacêutico devem observar regras de fundamental importância. Por isso, é natural que esses remédios passem por um rigoroso procedimento de monitoramento. Dentre tais processos, destaca-se a chamada rastreabilidade de medicamentos, cujo início se dá mediante seu recebimento até a dispensação adequada.

Embora explícito, a falta de cuidados à rigor no que concerte os processos de gestão de medicamentos ainda ocorre com muita frequência, sobretudo em farmácias e drogarias. Fato é que muitas empresas do setor apresentam grande prejuízo em decorrência da manutenção de medicamentos vencidos em estoque. Dessa forma, é necessário atentar-se à rastreabilidade — apesar de todas as normas de controle.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

Qual a importância da rastreabilidade de medicamentos?

Resumidamente, o monitoramento de toda medicação nada mais é do que uma atividade essencial para o controle de remédios. Dessa maneira, pode-se até mesmo evitar o desperdício e o prejuízo decorrente da perda de produtos com validade ultrapassada. Além disso, minimiza-se também eventuais usos de medicamentos vencidos, fato que pode além de agravar a condição de saúde do paciente em tratamento, ser fatal em alguns casos.

A seguir, confira algumas das vantagens de se aplicar com rigor a rastreabilidade de medicamentos.

Redução dos gastos

O acompanhamento de toda trajetória dos medicamentos comercializados por farmácias e drogarias pode resultar na diminuição de até 100% das despesas relacionadas às compras de emergência. Isso porque tal procedimento possibilita uma gestão mais eficiente do estoque, tal como da demanda. Consequentemente, a economia gerada provoca impacto positivo sobre o caixa dessas empresas.

Vendas mais seguras

Outro ponto que merece atenção em relação à rastreabilidade passa diretamente pelo acompanhamento dos remédios durante seu percurso entre a produção e venda dos produtos ao usuário final. Em outras palavras, assegura-se que o medicamento seja destinado corretamente até o paciente, reduzindo drasticamente qualquer falha operacional e tornando o tratamento mais seguro.

Diminuição dos casos de perda

A perda de medicamentos por desvios é um problema muito comum, tendo em vista que faz parte da rotina de vários gestores. Como já vimos, a falta de controle pode causar a perda por validade, porém, o mau gerenciamento também interfere na má conservação dos medicamentos, bem como sua inadequada manipulação. Assim, a rastreabilidade contribui para diminuir esse tipo de ocorrência, pois o rigoroso controle de entrada e saída inibe perdas de qualquer natureza.

Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

Em vigor desde 2009, o Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (SNCM) é um programa que vem, nos últimos anos, passando por diversas alterações normativas. A principal delas, trata-se da criação da Lei nº 13410/2016. O dispositivo determina ações de controle dos medicamentos e regulamenta a identificação dos remédios a partir de procedimentos específicos.

Debaixo da coordenação da Anvisa, o órgão implantou novas medidas a partir do RDC mº 157, que dispõe sobre a obrigatoriedade do registro e comunicação eletrônica de toda troca de dados referente aos medicamentos sob a responsabilidade de cada um dos membros componentes da cadeira de movimentação de medicamentos — incluindo drogarias e farmácias.

E então, leitor. O que achou das informações que trouxemos neste artigo? Ainda em dúvidas? Então, deixe um comentário abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.