fbpx

Fatores que afetam a precificação de produtos farmacêuticos

O planejamento deve sempre anteceder a precificação de produtos farmacêuticos. Afinal, é fundamental estabelecer as melhores formas de se chegar ao custo ideal de determinado produto e/ou categoria, já que isso também pode influenciar de maneira considerável no desempenho do seu negócio.

Vale lembrar que o mercado de drogarias é, sem dúvida, um dos mais disputados. Logo, é indispensável apresentar estratégias competitivas no intuito de agregar valor à marca e oferecer diferenciais para que sua empresa tenha maior destaque em relação à concorrência.

Pensando nisso, no post de hoje vamos mostrar como funciona o planejamento de precificação de produtos farmacêuticos, bem como ter um melhor desempenho em relação à comercialização destes itens. Ficou interessado? Então continue a leitura!

Afinal, como encontrar a margem de lucro ideal na precificação de produtos farmacêuticos?

 

O primeiro passo é, sem dúvida, estudar o mercado e conhecer a fundo suas particularidades, em especial as dores e necessidades dos consumidores. Dessa forma, é possível estabelecer uma margem que melhor se adapte às necessidades do seu negócio em relação ao comportamento dos seus clientes.

Isso porque, quando conhecemos os hábitos de compras, podemos estabelecer melhor os valores que podem ser praticados de maneira justa para cada produto vendido. Certo? Além disso, deve-se analisar o mercado em sua totalidade para saber de fato como precificar de maneira eficiente, sem deixar de atender as necessidades de lucro, mas, ao mesmo tempo, sem impactar financeiramente sua farmácia ou drogaria.

Alguns dos principais fatores que devem ser analisados, são, além da demanda e a carência dos consumidores, as diferentes categorias de produtos. Confira, a seguir, quais são e como defini-las estrategicamente.

Quais são as principais categorias de produtos da drogaria?

 

Em uma drogaria é possível encontrar diferentes itens, desde medicamentos até produtos de higiene pessoal, por exemplo. Sendo assim, sua precificação correta passa diretamente pela avaliação da categoria no qual estão inseridos. Basicamente, existem 3 principais: de imagem, de ganho e marcas famosas.

  • Produtos de imagem

Os produtos de imagem são aqueles que mais vendem. Isto é, são itens que chamam mais atenção dos consumidores, como as fraldas, absorventes, tintas para cabelo ou desodorantes. Basicamente, insere-se todos esses itens em uma categoria de imagem, ou seja, com melhor preço para passar a ideia de bons preços, maiores descontos e ofertas atrativas.

  • Produtos de ganho

Diferente dos produtos de imagem, os produtos de ganho são aqueles em que são aplicadas as maiores margens de lucro de uma drogaria. Geralmente os itens inseridos nestas categorias tendem a ter menor volume de vendas. Nessa categoria destaca-se a venda de vitaminas, produtos de higiene bucal e itens de cuidado diário com a pele, por exemplo.

  • Marcas famosas

As marcas mais famosas geralmente atraem um público fiel. Sendo assim, não impacta diretamente na necessidade de maior exposição, logo, apresentam margem de lucro mediana. Isso se deve ao fato de serem normalmente procuradas pelos clientes, já que fazem parte dos seus itens de uso frequente. Nessa categoria estão em evidência produtos de linhas tradicionais, como Hipoglós, Seda, Elseve, L’Oréal, entre outras.

Que fatores afetam a precificação de produtos farmacêuticos?

 

Atribuir valores a produtos não é uma tarefa fácil. Além de um bom planejamento, como já vimos, é essencial levar em consideração uma série de fatores externos. Por isso, separamos alguns dos itens que melhor devem ser analisados para definição dos preços de itens de uma farmácia.

1. Custo com fornecedores

A renovação do estoque de medicamentos e itens de higiene pessoal compõe a principal despesa de uma drogaria. Sendo assim, é de fundamental importância saber como negociar a compra desses produtos no mercado varejista, adotando margem maior para itens dessas categorias com o intuito de obter lucro maior.

Além disso, é indispensável que o gestor entenda a composição de custos para repassá-los aos consumidores dentro do preço praticado pelo mercado, já que assim os preços tendem a se manter atrativos. Para tanto, deve-se construir uma relação comercial mais eficiente com os fornecedores, bem como garantir bons descontos.

2. Demanda por produtos farmacêuticos

No mercado tradicional, a formação de preços se dá em razão do preço oferecido e o preço procurado pelos consumidores. Entretanto, o efeito da “lei da oferta e da procura” não tem um efeito positivo nas farmácias. Isso porque os itens de maior rotatividade são aqueles mais baratos e que são posicionados estrategicamente a fim de atrair mais clientes, ampliando assim o faturamento através do volume de vendas.

3. Volume de vendas

O volume de compras, bem como o volume de vendas, está diretamente atrelado à precificação de produtos farmacêuticos. Realizada dentro das farmácias, essa é uma ótima estratégia para gerenciar e controlar despesas, além de contribuir para que as vendas prosperem.

Para otimizar ainda mais a sua eficiência, recomenda-se apostar em sistemas de automação que ofereçam tais funcionalidades. Afinal, por meio dessas ferramentas é possível criar um planejamento adequado e alcançar melhores ofertas de compra junto aos fornecedores.

4. Concorrência

O mecanismo de precificação adotado pela concorrência é um ponto igualmente importante na hora de definir os próprios preços. Entretanto, esse tipo de competitividade não agrega valores sólidos ao seu negócio. Não tão raro, muitos empreendedores adotam um sistema de preços baseado apenas naquilo que é definido pela concorrência, trazendo prejuízos consideráveis para o seu próprio negócio.

Como vimos, o planejamento é uma etapa indispensável para a precificação de produtos farmacêuticos. Através dela se pode estabelecer corretamente a margem de lucro esperada sobre um produto em específico ou todos os itens de uma drogaria, por exemplo. Nesse contexto, procure verificar com cautela cada categoria e os demais fatores que podem influenciar o processo de elaboração de custos.

O que achou das nossas dicas? Entendeu o mecanismo de precificação de produtos farmacêuticos? Se ficou alguma dúvida, não deixe de compartilhar o seu comentário abaixo!

Siga nosso canal no Youtube e nos acompanhe nas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram e LinkedIn.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *