fbpx

Qual a diferença entre despesas fixas e variáveis nas farmácias?

Despesas fixas e variáveis, embora se tratem de conceitos comuns na administração, referem-se a termos que podem trazer muitas dúvidas para pequenas farmácias e drogarias. Por outro lado, cabe destacar a importância de entender melhor sobre suas diferenças, uma vez que elas estão diretamente associadas ao sucesso financeiro de qualquer negócio, sobretudo em se tratando de empresas do varejo farmacêutico.

Quer aprender mais sobre o assunto? Continue a leitura!

O que são despesas fixas e variáveis?

Resumidamente, a despesa fixa nada mais é do que um valor que corresponde ao montante que deve ser pago em caráter de custo, ainda que não ocorram vendas em determinado período. As despesas fixas são, portanto, custos com salário, contas básicas (água, luz, telefone e internet), etc.

Por outro lado, a despesa variável nada mais é do que os valores pagos que podem ser alterados de acordo com as vendas. Isto é, são comissões, custos com reposição de estoque, devolução de itens e demais despesas. Portanto, ao contrário do que imaginam algumas pessoas, despesas variáveis são diferentes de valores variáveis.

Mesmo que a conta de energia elétrica represente um valor diferente a cada mês, esta não se encaixa na modalidade variável, uma vez que, independentemente do valor, mensalmente esse custo deverá ser arcado pela sua farmácia.

Nesse contexto, compreender a definição de custos fixos e variáveis pode contribuir, por exemplo, para a definição do ponto de equilíbrio de sua drogaria. Afinal, é possível visualizar mais facilmente o quanto deve ser vendido em determinado período para suprir todos os gastos essenciais do estabelecimento.

Qual a importância do fluxo de caixa?

Assim como as despesas fixas e variáveis, o fluxo de caixa também se trata de um controle financeiro primordial para qualquer negócio. Por meio dele, é possível registrar todas as entradas e saídas de determinado período.

Cabe destacar que os gestores devem realizar o controle desse fluxo periodicamente. Assim, pode-se identificar mais facilmente todo o movimento financeiro do estabelecimento. Ademais, analisar o fluxo de caixa pode permitir estabelecer metas de gastos com maior assertividade, já que esta informação se baseará no próprio histórico financeiro da farmácia.

Outra vantagem do fluxo de caixa é a possibilidade de acompanhar as variações financeiras que são comuns para qualquer empresa, especialmente em longo prazo. Dessa forma, ela permite a tomada de decisão sobre a utilização do capital da farmácia, principalmente na alocação de recursos para reposição de estoque e investimentos financeiros.

Onde se encaixam os custos da empresa?

Diferentemente dos gastos fixos e variáveis, os custos de uma farmácia estão atrelados com o serviço prestado ou ao produto comercializado. Isto é, ele consiste nas despesas que determinada farmácia ou drogaria apresenta para que possa funcionar.

Nesse contexto, vale também mencionar os custos fixos e variáveis que, assim como as despesas, representam números importantes para drogarias e farmácias. Neste caso, a principal diferença é que os custos estão atrelados ao que é gasto para fazer com que o produto final seja entregue.

Concluindo, os termos apresentados são aplicações que estão intimamente associadas ao ponto de equilíbrio de uma farmácia. É por meio dela que se pode identificar aquilo que seu negócio deve realizar em determinado período para suprir todos os custos relacionados ao funcionamento da drogaria.

Pronto. Agora você já entende o que é e quais são as diferenças básicas entre despesas fixas e variáveis de uma farmácia. Se quer aprender mais sobre este assunto, confira mais detalhes sobre o papel da dotação orçamentária em pequenas e médias farmácias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *